Contactos da Igreja Católica em Portugal  
 
ANUÁRIO CATÓLICO  
Dioceses
Listagens
Notas Históricas
Nunciatura Apostólica
Bispos
Cúrias Diocesanas
-
Chancelaria/secretaria geral
-
Gestão de recursos pessoais, patrimoniais e financeiros
Conselhos Presbiterais
Colégio de Consultores
Cabido
Conselho Pastoral
Colégio de Arciprestes
Secretariado / serviço / departamento
Comissões
Tribunais Eclesiásticos
Seminários
Diaconado Permanente (formação)
Formação de Agente de Pastoral
Vigararias/Arciprestados
Paróquias
Oragos
Centros de Vida Cristã
Presbíteros
Diáconos Permanentes
Associações e Obras para Presbíteros
Prelaturas Pessoais
Institutos Religiosos Femininos
Institutos Religiosos Masculinos
Institutos Seculares
Associações, Movimentos e Obras
Centros de animação espiritual
Obras de Acção Sócio-caritativa
Escolas Católicas
Instituições Culturais
Comunicações Sociais
Estatísticas
Aniversários do dia
Natalícios e Ordenação
   
Indiquem-nos, por email secretaria.cep@ecclesia.pt, as incorrecções encontradas.



ASSOCIAÇÕES MOVIMENTOS E OBRAS
Nome Obra de Rua
Perfil Fundador: O Padre Américo – Pai Américo – cujo nome completo é Américo Monteiro de Aguiar, nasceu em 23 de Outubro de 1887, na freguesia de Galegos, concelho de Penafiel. Depois dos estudos preliminares, envereda pela carreira comercial. Trabalha primeiro no Porto e a partir de 1906 em Moçambique. Aos 36 anos ingressa no Convento Franciscano de Villariño de la Ramallosa, Galiza, do qual sai após dois anos de vida conventual. Recebido no Seminário de Coimbra em 1925, é ordenado Presbítero em 28 de Julho de 1929. Em 19 de Março de 1932 é encarregado da Sopa dos Pobres, em Coimbra. Dedica-se ao apostolado da Caridade, nos tugúrios de famílias em dificuldades. Visita hospitais e cadeias. De 1935 a 1939 organiza Colónias de Campo. Em 7 de Janeiro de 1940 institui a Obra da Rua com a fundação da primeira Casa do Gaiato, em Miranda do Corvo, e em 1951 o Património dos Pobres, que sacudiu o País da inércia quanto ao problema habitacional dos pobres. A última realização de Pai Américo foi o Calvário para doentes incuráveis e abandonados.
Faleceu no Hospital Geral de Santo António, Porto, a 16 de Julho de 1956, em consequência dum acidente de automóvel em S. Martinho do Campo, Valongo. Jaz em campa rasa na Capela da Casa do Gaiato de Paço de Sousa.
O processo de beatificação foi introduzido em 22 de Março de 1986, constituindo-se autora a Obra da Rua. A 18 de Outubro 1997, foi publicado o decreto de validade da Causa de Canonização do Servo de Deus.
Objetivo: Preservar e apoiar a instituição familiar pobre de recursos, mas ainda sã, para que não decaia, mediante a visita e auxílio domiciliários. No que respeita ao problema da habitação: apoiar o Património dos Pobres e ajudar à Autoconstrução. Para os sem-família, há as Casas do Gaiato, destinadas a Rapazes em risco e o Calvário, para os Doentes incuráveis.
Método: Vida Familiar: Obra de Rapazes, para Rapazes, pelos Rapazes». «Todo o regresso a Nazaré é progresso social cristão».
Fundamento: A Pobreza: «A nossa riqueza é a nossa Pobreza». «Nas obras sociais a partir do Evangelho, a última coisa a procurar é o dinheiro. Primeiro a Justiça do Reino».
Intenção: Revelar Cristo. Testemunhá-lo presente e activo no meio dos homens.
Implantação Implantação da Obra de Rua Casas Do Gaiato – Casa do Gaiato do Porto Responsável: P. Júlio de Freitas Pereira (da Diocese de Coimbra). 4560-373 PAÇO DE SOUSA. Tel. 255752285, paco.de.sousa@obradarua.pt, www.obradarua.pt – Casa do Gaiato de Beire Responsável: P. Fernando Licínio Alves Fontoura (da Diocese de Bragança-Miranda). 4580-281 BEIRE. Tel. 255776178, calvario@obradarua.org.pt – Casa do Gaiato de Coimbra Responsável: P. Manuel António dos Santos Carvalho Mendes (da Diocese do Porto). 3220-034 MIRANDA DO CORVO. Tel. 239532125, gaiatomiranda@gmail.pt – Casa do Gaiato Setúbal Responsável: P. Acílio da Cruz Fernandes (da Diocese de Coimbra). Estrada da Casa do Gaiato, 2910-281 SETÚBAL. Tel. 265501227, cgsetubal@sapo.pt – Casa do Gaiato de Benguela (Angola) Responsável: P. Manuel António da Silva Pereira (da Diocese do Porto). CP 820, BENGUELA. Tel. 00244272232266; gaiatobenguela@netangola.com – Casa do Gaiato de Malanje (Angola) Responsável: P. Rafael Rodriguez Serrano (da Diocese de Saragoça, Espanha). Corresponsável: P. José Telmo Ferraz (da Diocese de Bragança-Miranda). CP 192 MALANJE. Calvário Responsável: P. Fernando Licínio Alves Fontoura (da Diocese de Bragança-Miranda). 4580-281 BEIRE. Tel. 255776178, calvario@obradarua.org.pt
Lares do Gaiato – Lar do Gaiato do Porto, Rua D. João IV, 682, 4000-299 PORTO. Tel. 225370300. – Lar do Gaiato de Coimbra, Travessa Padre Américo, 3000-313 COIMBRA. Tel. 239712648. – Lar do Gaiato de Lisboa, Rua Ricardo Espírito Santo, 8 r/c, dto, 1200-791 LISBOA. Tel. 213966333. – Lar do Gaiato de Setúbal, Rua Camilo Castelo Branco, 22-A, 2900-444 SETÚBAL. Tel. 265523054. Lares de Férias – Colónia de Férias da Casa do Gaiato, Rua do Gaiato, 4480-164 AZURARA. – Colónia de Férias de Mira, Rua Padre Américo, 3070-727 PRAIA DE MIRA. – Lar de Férias da Arrábida, Portinho da Arrábida, 2900 SETÚBAL. Tel. 212180527 Património dos Pobres
Publicações JORNAL O GAIATO Periodicidade: Quinzenal Diretor: P. Júlio de Freitas Pereira BOLETIM AMA Periodicidade: Trimestral Diretor: Obra da Rua ou Obra do Padre Américo Publicações: Jornal (quinzenário) O GAIATO, com uma tiragem média de 22.000 exemplares. Editora com 22 títulos e 28 volumes, quase todos da autoria de Padre Américo e de outros autores sobre a sua Pessoa, Pensamento e Obra.
Equipa Nacional Diretor: P. Júlio de Freitas Pereira (2016-2019)
Conselheiros: P. José Telmo Ferraz e P. Manuel António dos Santos Carvalho Mendes.
Morada (Sede) Casa do Gaiato
Código Postal 4560-373
Localidade PAÇO DE SOUSA, PENAFIEL
Telefone(s) 255752285
Fax
email geral@obradarua.pt
Página Web www.obradarua.pt
Observações A Casa do Gaiato de Lisboa foi entregue, pela Obra da Rua, ao Patriarcado de Lisboa que a assumiu, dotando-a de novos Estatutos, pelos quais passou a reger-se, conforme Decreto do Senhor Cardeal Patriarca de Lisboa, D. José da Cruz Policarpo, datado de 5 de Julho de 2006.